Porcelanato na bancada da cozinha: Vale a pena arriscar essa nova ideia?

Publicado em 26/04/2019 por Geise Coelho da página @meunovoespaco

Sou suspeita quando se trata de mudança, adoro embarcar em novos projetos e novas experiências! Quem me conhece sabe que não posso ver um banner de um curso na esquina que já estou me inscrevendo. Mas neste caso foi mudança física mesmo, de local, teto, ou como dizem "home, sweet home".

A oportunidade de sair do nosso primeiro apê para ir pra um local que traduzisse realmente os sonhos que fomos construindo juntos nos primeiros cinco anos de casamento surgiu na metade do ano passado enquanto conversávamos com corretores sobre alguns desejos que tínhamos em relação a um novo imóvel. A Splendore nos apresentou a chance de morar em um lugar onde todos os ambientes foram claramente pensados com carinho e onde cada cantinho mostra a preocupação de deixar perfeição nos detalhes. 

Enfim, 2019 chegou e mudamos! Concretizamos o sonho! Entrar em um apartamento novo é como ganhar uma tela de pintura em branco. Instiga os criativos mas também bate aquele medinho de fazer lambança com toda a cartela de cores que vem à mente. E como não tínhamos orçamento destinado para um projeto de arquitetura de interiores, a coisa precisaria acontecer na raça mesmo. 

Como de praxe, o primeiro espaço a ser planejado foi a cozinha. Definido qual o estilo dos móveis, surgiu a dúvida referente a bancada. Eu queria uma bancada branca! Quando descobri o quanto o quartzo (pedra na cor branca) custaria, tive meu coração dilacerado nesse primeiro amor. Fato, não poderíamos pagar pelo quartzo, ele custaria um valor equivalente a toda a marcenaria da cozinha. 

Mas como sou formada em arquitetura pelo pinterest (ironia, não me processe) já tinha visto e salvo muitas inspirações de bancadas em porcelanato, sim, aquele mesmo material utilizado como revestimento no chão. Feito o comparativo em relação aos valores, a bancada em porcelanato custaria o equivalente a bancada do mármore mais barato, aquele preto comum. Então quanto aos valores "ok", já começava a ser mais acessível a minha tão sonhada bancada branca. Mas e quanto a qualidade do acabamento? Resistência do material? Aguenta panela quente e cheia em cima? Que profissional vai fazer? 

A primeira dificuldade foi encontrar o profissional. Não conhecíamos ninguém que tivesse feito bancada de cozinha em porcelanato, e a maioria dos profissionais que nos recomendaram só trabalhavam com bancada para banheiro. Quanto à resistência, bom, é um material feito pra ficar no chão, né? Se aguenta isso, aguenta suas louças tranquilamente. Além disso, de acordo com o profissional que fez a instalação, embora o porcelanato seja menos espesso que o mármore, diferente deste, ele não é poroso, o que o torna tão firme quanto. 

No meio do caminho tinha uma pedra cuba. O porcelanato que eu escolhi não era o tipo "técnico", o que tornaria fazer o acabamento arredondado para a cuba de embutir um pouco mais difícil. Tive de trocar por uma cuba de sobrepor, coisa que eu nunca quis porque, embora lindas, são bem mais caras e nada práticas; "adeus rodinho, oi paninho". 

Agora, depois de tudo pronto, vou me conter em responder se valeu a pena com algumas imagens do resultado, até porque acho que já escrevi demais por aqui. O que eu posso dizer por final é que, minha mãe, de sangue português, naturalmente exigente e crítica, aprovou e elogiou o produto final. Se passou pelo critério de qualidade da minha mãe... rapaz, pode se jogar de olhos fechados nessa ideia! 

Obs.: Também estou amando minha cuba gigante - extra - plus - máster - power. Quando chegar a cegonha por aqui, a criança não vai tomar banho de tanque, mas de cuba de cozinha, muito mais inovador! Tomara que goste de experiências exóticas assim como a mãe dela.